(071) 3117-1800
contato@han.net.br

Tecnologia de ponta a serviço do SUS: Ana Nery adquire nova mesa e arco cirúrgico que garantem mais segurança ao paciente

Com o apoio da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB), o Ana Nery adquiriu recentemente um arco cirúrgico, ferramenta de imagem que utiliza tecnologia de ponta para tornar as cirurgias feitas na unidade ainda mais seguras, além de uma moderna mesa cirúrgica.

Nos primórdios das cirurgias, o médico precisava fazer grandes cortes no corpo do paciente, para conseguir visualizar o que acontecia no seu interior. Graças a equipamentos de imagem que foram sendo desenvolvidos, isso não é mais necessário. O arco cirúrgico é um desses equipamentos.

O arco cirúrgico facilita o trabalho da equipe médica durante as cirurgias, proporcionando uma maior visibilidade do médico e, consequentemente, garantindo ao profissional mais controle do que acontece no organismo do paciente. O equipamento tornou as cirurgias menos invasivas, diminuindo consideravelmente os riscos de erro e o tempo de recuperação do paciente.

Além disso, o equipamento permite ao cirurgião uma visualização dinâmica e em tempo real de todas as estruturas internas do corpo do paciente, reduzindo o tamanho de cortes e permitindo movimentos mais precisos.

Os arcos cirúrgicos apresentam um design semicircular, em forma de arco em C. Em uma das pontas fica a fonte emissora de raios X (o tubo e o gerador), enquanto na outra está localizado o detector de raios X.

Esse design de arco em C é especialmente projetado para uso cirúrgico, já que o formato permite que ele seja posicionado de diferentes maneiras durante o procedimento, facilitando a captação das imagens, sem atrapalhar a movimentação médica. Por isso, o arco cirúrgico é muito utilizado em cirurgias cardíacas e vasculares.

A incorporação do arco cirúrgico nos procedimentos representou uma grande evolução para a execução eficiente das cirurgias e para a segurança do paciente, se tornando de extrema relevância para unidades de saúde que realizam cirurgias.

Já a mesa cirúrgica adquirida pelo Ana Nery se destaca por várias características, como a capacidade de mobilidade

Segundo o cirurgião vascular, Dr. André Brito, a mesa possibilita que o profissional faça praticamente todos os movimentos necessários durante cirurgia, como de lateralidade, proclive, declive, subida e descida.

“Mas a principal vantagem é que um segmento dela é radio-transparente, ou seja, não tem interferência com o raio-x do arco cirúrgico. Mais da metade da mesa não tem nenhum material metálico, o que impede essa interferência da mesa com o arco cirúrgico, que usualmente acontece nas mesas cirúrgicas tradicionais. Esse conjunto do arco cirúrgico com essa mesa é fundamental para a gente ter uma qualidade de imagem operatória maior”, afirma o médico.

Para Dra. Fernanda Martin, diretora técnica do Ana Nery, a aquisição do arco cirúrgico e da mesa é um marco para o hospital.

“Vamos conseguir, com maior segurança, atender a mais pacientes, porque vamos reduzir o tempo cirúrgico. Desta forma, a população terá uma melhor assistência, principalmente para procedimentos cirúrgicos complexos”, destaca.

Os novos equipamentos adquiridos pelo Ana Nery serão montados já na próxima semana, quando começarão a ser utilizados.

Com decoração divertida, mais uma enfermaria pediátrica do Ana Nery é entregue após reforma

Foi entregue na quinta-feira (31), após obras de requalificação, mais uma enfermaria pediátrica do Hospital Ana Nery a ser totalmente requalificada.

A sala tem capacidade para atender até 6 pacientes. Esses leitos somam-se a outros três, que também foram totalmente requalificados e entregues no início do mês.

Além de revisão da parte elétrica e hidráulica, a requalificação das duas enfermarias deu grande atenção ao fator lúdico, já que se trata de uma unidade pediátrica, e transformou a área em uma incrível viagem pelo espaço sideral.

O tema central é o espaço, e cada enfermaria será um tipo de planeta. A sala entregue na quinta representa o planeta da diversão, enquanto a que ficou pronta no início do mês representa o planeta do conhecimento e do saber.

As paredes do “Planeta Diversão” mostram o astronauta criança, mascote da enfermaria, interagindo com brinquedos como montanha russa, roda gigante, cavalo de pau, entre outros. Já no “Planeta do Conhecimento e do Saber”, o pequeno astronauta se vê em meio a livros, lápis, letras, pinceis e outros materiais.

Além das salas, o corredor da ala pediátrica também ganhará decoração com tema espacial, simulando a viagem que as crianças farão até chegarem nos planetas (salas).

E para a imersão dos pequenos nesse mundo do espaço sideral ser completa, a sala no centro cirúrgico onde são realizados os procedimentos pediátricos foi decorada para ser a nave do astronauta.

Ana Nery promove semana de ações educativas para marcar o Dia Mundial do Rim

Foi encerrada no fim da manhã desta sexta-feira (11), a Semana NefroHAN, que promoveu ações integradas educativas sobre a doença renal. O evento, que começou na segunda-feira (7), foi idealizado para marcar o Dia Mundial do Rim, celebrado na quinta (10).

Ao longo da semana, foram realizadas lives no perfil do hospital no Instagram, panfletagem e orientação ao público externo do HAN. As atividades envolveram o conhecimento sobre doença renal e tratamento renal substitutivo, fatores de risco, além de hábitos e estilo de vida preventivo.

Nas ações, a equipe multiprofissional de saúde do Ana Nery informou ao público sobre os temas relacionados à educação da doença renal e ações de prevenção. Participaram do evento profissionais de enfermagem, medicina, fisioterapia, psicologia, nutrição, serviço social, pedagogia e técnicos em enfermagem.

Um dos momentos mais importantes foi o Pit Stop da Nefrologia, realizado no auditório do HAN. O objetivo foi levar informações sobre a doença renal, e sua prevenção, para os colaboradores do hospital.

Outro momento de muita relevância foram as atividades de fisioterapia promovidas, por dois dias seguidos, nas salas de hemodiálise.

Houve também momentos de descontração, com o músico Jamerson Rolemberg. Acompanhado de seu violino, ele passeou pelas salas de hemodiálise e emocionou pacientes e colaboradores com pérolas da música brasileira.

Na quinta-feira, data em que se celebrou o Dia Mundial do Rim, a equipe foi até o ambulatório do Ana Nery, onde orientou o público externo e promoveu uma atividade de alongamento.

No mesmo dia, Jacqueline Sacramento, assistente social do setor de Terapia Renal Substitutiva do HAN, e Dra. Maria Gabriela Guimarães, médica nefrologista do hospital, participaram de um evento online da Sociedade Brasileira de Nefrologia – Regional Bahia.

A semana foi encerrada no fim da manhã desta sexta, após uma live em que profissionais de saúde do Ana Nery falaram sobre a atuação da equipe multidisciplinar frente a doença renal crônica.

A cada ano, cerca 21 mil pessoas precisam iniciar tratamento por hemodiálise ou diálise peritoneal no Brasil, sendo raros os casos de recuperação parcial da função renal. Além disso, a cada ano, somente 2.700 brasileiros têm a oportunidade de transplante. Dessa forma, a doença renal e suas consequências constituem um importante problema de saúde pública, que requer atenção diferenciada à prevenção e ao tratamento.

Enviar mensagem
Precisa de ajuda? Entre em contato.
Agora você pode agendar e tirar suas dúvidas via WhatsApp.
Powered by