(071) 3117-1800
contato@han.net.br

Setor de Rouparia Hospitalar realiza workshop para equipe da SESAB, que pretende replicar em outros hospitais os processos do Ana Nery

Referência de gestão eficiente também com relação aos enxovais utilizadas no hospital, o Ana Nery realizou um workshop na terça-feira (24), com o objetivo de mostrar as melhores práticas do setor de Rouparia Hospitalar da unidade, para posteriormente serem aplicadas em outros centros de saúde da rede estadual.

Participaram do evento representantes da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e da lavanderia que presta serviços ao HAN.

No workshop, a equipe de Rouparia Hospitalar do Ana Nery mostrou como realiza toda a parte operacional de coleta, pesagem, separação, processamento, confecção, reparo e distribuição de roupas para o hospital, atividade de suma importância para o funcionamento eficiente da unidade.

Durante a visita, a equipe da SESAB percorreu todo o setor de rouparia, observando os processos operacionais.

De acordo com o gerente de Hotelaria (setor responsável pela Rouparia Hospitalar), Anderson Nascimento, o workshop foi um grande marco para o setor de Hotelaria do Hospital Ana Nery, visto que sua atual gestão preza principalmente pelo bem estar, segurança e conforto de seus pacientes e demais usuários.

Projeto Piloto do Ana Nery reduz em 22% o tempo para liberação de salas cirúrgicas

O Ana Nery desenvolveu um Projeto Piloto de Giro de Sala, implementado nos Centros Cirúrgicos 1 e 2, que permitiu que o tempo de liberação de uma sala, após procedimento, caísse de 66 minutos para 51 minutos.

O Centro Cirúrgico é uma das áreas mais rentáveis do sistema hospitalar, sendo imprescindível a otimização dos processos e máximo aproveitamento das áreas. Por isso, é extremamente importante mensurar e avaliar as atividades desenvolvidas neste setor, afim de otimizar os processos, alcançando a máxima qualidade e utilização dos recursos.

No projeto Piloto de Giro de Sala, a equipe de Engenharia Clínica do Ana Nery, junto com a equipe assistencial, mapeou os processos realizados entre uma cirurgia e outra, e iniciou o desenvolvimento de uma ficha para monitoramento.

Com a ajuda da equipe de Biomedicina, foi possível realizar o registro de início e fim de cada uma das seis etapas que compreendem todas as fases para liberação da sala cirúrgica, após um procedimento. Foram identificados os seguintes processos:

  1. CONTAGEM DOS INSTRUMENTIAS SUJOS;
  2. DEVOLUÇÃO DE MATERIAL À FARMÁCIA;
  3. HIGIENIZAÇÃO;
  4. TEMPO DE SECAGEM;
  5. DISTRIBUIÇÃO DOS MATERIAIS;
  6. ABERTURA DOS MATERIAIS;

Entre os dias 25/03/2022 e 06/04/2022, antes das mudanças implementadas pelo projeto serem aplicadas, os procedimentos foram monitorados, ficando constatado um tempo médio de 66 minutos para liberação da sala cirúrgica. A análise dos resultados mostrou que alguns processos poderiam ser otimizados, a partir do reforço e orientação das equipes de distribuição dos materiais e higienização.

Após a aplicação das mudanças, foi realizado um novo mapeamento entre os dias 13/04/2022 e 29/04/2022, que mostrou que o tempo médio de liberação da sala cirúrgica havia diminuído para 51 minutos, o que significa uma queda de 22,75% do tempo.

Dos seis processos analisados, cinco tiveram seu tempo médio reduzido, enquanto a higienização alcançou o tempo alvo de 15 minutos. [Veja gráfico abaixo]

A equipe segue agora com desafio de continuar a otimização dos processos, a fim de alcançar a máxima produtividade e atender nossos pacientes com qualidade e eficiência.

Enviar mensagem
Precisa de ajuda? Entre em contato.
Agora você pode agendar e tirar suas dúvidas via WhatsApp.
Powered by