Reunião semanal do Heart Team do Ana Nery discute casos complexos de pacientes

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 8 de março, mais uma reunião semanal do Heart Team (Time do Coração) do Hospital Ana Nery.

Formada por equipes de cirurgiões cardíacos, anestesistas, cardiologistas clínicos, hemodinamicistas, enfermagem especializada, engenharia clínica e direção médica, o Heart Team tem como foco discutir os casos mais complexos, nos quais a decisão de intervir de forma percutânea ou cirúrgica não está clara.

Nesta terça (8), foram discutidos os casos de quatro homens (de 59, 65, 70 e 82 anos de idade) e uma mulher (com 69 anos).

Nas reuniões do Heart Team, cada apresentação é liderada pelo clínico líder da enfermaria, com a apresentação feita pelo residente. Todos podem opinar e, em caso de não haver consenso, o clínico líder pode conduzir de forma orientada pelos melhores interesses do paciente e sua família.

Para casos mais avançados, há a participação da equipe especializada de cuidados proporcionais e paliação.

Além disso, todas as reuniões são registradas e compõem um acervo para pesquisa e consulta de casos complexos conduzidos pelo hospital.

Confira a decisão do caso apresentado na reunião anterior:

  • Adolescente, sexo masculino, 14 anos, internado desde novembro com quadro de insuficiência cardíaca (IC) descompensada, com choque cardiogênico e uso de dobutamina para manejo de choque. Ao ecocardiograma, paciente apresenta IAo grave de questionada etiologia reumática, com Insuficiência mitral (IM) grave aparente secundaria pelo ECO, Insuficiência tricúspide (IT) moderada com hipertensão pulmonar moderada com PSAP 65. Chama atenção uma evolução rápida do quadro no contexto de um paciente jovem com dilatação grave do ventrículo esquerdo (VE), com diâmetro diabólico de 82 e sistólica de 72. FEVE 25%. Diante de um risco cirúrgico muito elevado, decidido por não seguir com troca valvar. Paciente atualmente com quadro infeccioso em uso de antibiótico.
    Decisão do Heart Team: Optado e realizada orientação de médico assistente, sobre manejo clínico inicial, tratamento infeccioso, tratamento clínico da IC. Posteriormente caso o paciente evolua com controle do quadro, evoluir com protocolo de avaliação para transplante cardíaco.