(071) 3117-1800
contato@han.net.br

Tratamento Transcateter da Válvula Aórtica: Ana Nery entra na era da TAVI

No último dia 17 de março, o HAN entrou oficialmente na era da TAVI (Tratamento Transcateter da Válvula Aórtica), procedimento que até então era inédito na unidade.

O primeiro paciente foi um homem com degeneração de prótese aórtica que apresentava elevado risco para cirurgia convencional, por causa de insuficiência cardíaca e também por apresentar um elevado risco de eventos de embolia pela presença intensa de cálcio na aorta.

O procedimento foi um sucesso, e o paciente apresentou boa evolução pós operatória.

Após entendimentos com a SESAB, ficou estabelecido que todos os processos judicializados ou indicados pelo time do coração (Heart Team) do HAN poderão realizar o procedimento no hospital.

O procedimento foi realizado pela equipe de hemodinamicistas liderada pelo Dr. Cristiano Guedes e contou ainda com acompanhamento ecocardiográfico realizado por Dr. Edmundo Câmara, coordenador do serviço.

O hospital pretende, em parceria com a SESAB, realizar rotineiramente esse procedimento que ainda depende de aportes da secretaria do Estado, visto que o SUS não financia esse tipo de tratamento.

Ana Nery promove semana de ações educativas para marcar o Dia Mundial do Rim

Foi encerrada no fim da manhã desta sexta-feira (11), a Semana NefroHAN, que promoveu ações integradas educativas sobre a doença renal. O evento, que começou na segunda-feira (7), foi idealizado para marcar o Dia Mundial do Rim, celebrado na quinta (10).

Ao longo da semana, foram realizadas lives no perfil do hospital no Instagram, panfletagem e orientação ao público externo do HAN. As atividades envolveram o conhecimento sobre doença renal e tratamento renal substitutivo, fatores de risco, além de hábitos e estilo de vida preventivo.

Nas ações, a equipe multiprofissional de saúde do Ana Nery informou ao público sobre os temas relacionados à educação da doença renal e ações de prevenção. Participaram do evento profissionais de enfermagem, medicina, fisioterapia, psicologia, nutrição, serviço social, pedagogia e técnicos em enfermagem.

Um dos momentos mais importantes foi o Pit Stop da Nefrologia, realizado no auditório do HAN. O objetivo foi levar informações sobre a doença renal, e sua prevenção, para os colaboradores do hospital.

Outro momento de muita relevância foram as atividades de fisioterapia promovidas, por dois dias seguidos, nas salas de hemodiálise.

Houve também momentos de descontração, com o músico Jamerson Rolemberg. Acompanhado de seu violino, ele passeou pelas salas de hemodiálise e emocionou pacientes e colaboradores com pérolas da música brasileira.

Na quinta-feira, data em que se celebrou o Dia Mundial do Rim, a equipe foi até o ambulatório do Ana Nery, onde orientou o público externo e promoveu uma atividade de alongamento.

No mesmo dia, Jacqueline Sacramento, assistente social do setor de Terapia Renal Substitutiva do HAN, e Dra. Maria Gabriela Guimarães, médica nefrologista do hospital, participaram de um evento online da Sociedade Brasileira de Nefrologia – Regional Bahia.

A semana foi encerrada no fim da manhã desta sexta, após uma live em que profissionais de saúde do Ana Nery falaram sobre a atuação da equipe multidisciplinar frente a doença renal crônica.

A cada ano, cerca 21 mil pessoas precisam iniciar tratamento por hemodiálise ou diálise peritoneal no Brasil, sendo raros os casos de recuperação parcial da função renal. Além disso, a cada ano, somente 2.700 brasileiros têm a oportunidade de transplante. Dessa forma, a doença renal e suas consequências constituem um importante problema de saúde pública, que requer atenção diferenciada à prevenção e ao tratamento.

‘Tao Te Ching: O Livro do Caminho e da Virtude’ e a atuação do Hospital Ana Nery

Prover ações e serviços para a atenção integral à saúde da população, com qualidade e gestão eficiente dos recursos: essa é a missão do SUS e uma conquista do povo brasileiro.

No Ana Nery, filosoficamente, essa atuação se dá em consonância com um dos textos do filósofo chinês Lao-Tse (604-517 a.C.) presentes no Tao Te Ching, o Livro do Caminho e da Virtude.

No texto, o filósofo diz:

O caminho do céu é como o retesar do arco: a parte superior abaixa, a parte inferior sobe, a parte que possui sobra é diminuída, a parte não suficiente é completada.

O caminho do céu diminui a sobra possuída, completa o não suficiente.

Mas o caminho do homem não se orienta assim: diminui do não suficiente, para oferecer ao que possui sobra.

Mas quem pode possuir sobra para oferecer ao mundo? Somente aquele que possui o caminho.

Por isso, o homem sagrado age sem querer para si, conclui a obra, mas não se apega; e não deseja mostrar a sua proeminência.

No Ana Nery, todos os esforços são desenvolvidos baseados nas orientações do texto de Lao-Tse:

Os movimentos são coordenados, de forma a maximizar a eficiência e os resultados.

A gestão está sempre atenta para reduzir o que sobra, e oferecer o que falta.

E sempre com os olhos focados não em nós mesmos, mas em quem é a razão de nossa existência: nossos pacientes e suas famílias.

Reunião semanal do Heart Team do Ana Nery discute casos complexos de pacientes

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 8 de março, mais uma reunião semanal do Heart Team (Time do Coração) do Hospital Ana Nery.

Formada por equipes de cirurgiões cardíacos, anestesistas, cardiologistas clínicos, hemodinamicistas, enfermagem especializada, engenharia clínica e direção médica, o Heart Team tem como foco discutir os casos mais complexos, nos quais a decisão de intervir de forma percutânea ou cirúrgica não está clara.

Nesta terça (8), foram discutidos os casos de quatro homens (de 59, 65, 70 e 82 anos de idade) e uma mulher (com 69 anos).

Nas reuniões do Heart Team, cada apresentação é liderada pelo clínico líder da enfermaria, com a apresentação feita pelo residente. Todos podem opinar e, em caso de não haver consenso, o clínico líder pode conduzir de forma orientada pelos melhores interesses do paciente e sua família.

Para casos mais avançados, há a participação da equipe especializada de cuidados proporcionais e paliação.

Além disso, todas as reuniões são registradas e compõem um acervo para pesquisa e consulta de casos complexos conduzidos pelo hospital.

Confira a decisão do caso apresentado na reunião anterior:

  • Adolescente, sexo masculino, 14 anos, internado desde novembro com quadro de insuficiência cardíaca (IC) descompensada, com choque cardiogênico e uso de dobutamina para manejo de choque. Ao ecocardiograma, paciente apresenta IAo grave de questionada etiologia reumática, com Insuficiência mitral (IM) grave aparente secundaria pelo ECO, Insuficiência tricúspide (IT) moderada com hipertensão pulmonar moderada com PSAP 65. Chama atenção uma evolução rápida do quadro no contexto de um paciente jovem com dilatação grave do ventrículo esquerdo (VE), com diâmetro diabólico de 82 e sistólica de 72. FEVE 25%. Diante de um risco cirúrgico muito elevado, decidido por não seguir com troca valvar. Paciente atualmente com quadro infeccioso em uso de antibiótico.
    Decisão do Heart Team: Optado e realizada orientação de médico assistente, sobre manejo clínico inicial, tratamento infeccioso, tratamento clínico da IC. Posteriormente caso o paciente evolua com controle do quadro, evoluir com protocolo de avaliação para transplante cardíaco.

Cão terapeuta retorna ao Ana Nery para visitar os pequenos da cardiopediatria

O “cão terapeuta” Thor, um labrador de cinco anos de idade, retornou nesta terça-feira (8) ao Ana Nery, para visitar os pequenos pacientes da cardiopediatria. Ele já havia visitado o HAN em dezembro de 2021.

Treinado especialmente para confortar e auxiliar no tratamento de pacientes, Thor distribuiu simpatia, ganhou carinho e até entregou presentes para as mamães do local, em homenagem ao Dia da Mulher.

Thor visitou todas as enfermarias da ala pediátrica, ganhou biscoito e muito carinho dos pequenos.

Para exercer sua função de “cão terapeuta”, Thor passou por treinamento especializado.

Para agilizar emissão de relatórios médicos de pacientes, Ana Nery cria setor de Protocolos e Relatórios

Começará a funcionar em 15 de março o setor de Protocolos e Relatórios do Hospital Ana Nery. Com isso, o paciente acompanhado no ambulatório da unidade não precisará mais marcar uma nova consulta para obter seu relatório médico.

Esse novo fluxo irá otimizar os atendimentos para outras demandas de pacientes com compensações clínicas pendentes e agilizar a emissão de relatórios, evitando que o paciente perca prazos de perícias e outras atividades.

Com o novo procedimento, o paciente que já faz acompanhamento regular no Ana Nery poderá dar entrada diretamente no setor de Relatórios, para obter seu documento. No prazo de 10 dias úteis, ele já poderá retornar ao Ana Nery para pegar o seu relatório confeccionado em data recente, constando o CID da sua patologia.

Os relatórios serão confeccionados pelos médicos assistentes desses pacientes, com as informações contidas no prontuário eletrônico, bem como aquela já passadas em consultas anteriores.

Lembrando que só poderão dar entrada no setor para obter o relatório médico os pacientes que já estão sendo acompanhados no Ana Nery. Para isso, a pessoa deverá ir até a recepção do ambulatório.

Ana Nery é líder nacional em procedimentos de correção endovascular de aneurisma/dissecção da aorta abdominal

O Ana Nery foi o hospital que mais realizou procedimentos de correção endovascular de aneurisma/dissecção da aorta abdominal em todo o Brasil, durante o ano de 2021.

Segundo dados do Ministério da Saúde, o HAN contabilizou 260 procedimentos do tipo entre janeiro e dezembro do ano passado.

Em segundo lugar, ficou o HC da FMUSP – Hospital das Clínicas de São Paulo, com 144 procedimentos; seguido pela Santa Casa do Mato Grosso do Sul e Hospital Madre Tereza (MG), ambos com 112; e pelo Hospital Santa Isabel de Santa Catarina, que computou 106 procedimentos durante o ano de 2021.

No Nordeste, a liderança do Ana Nery é ainda mais larga. Na segunda posição, na região nordestina, está o Hospital Roberto Santos (BA), com 101 procedimentos do tipo; seguido pelo Procape (PE), com 56.

Se o foco for a Bahia, o Hospital Ana Nery reina absoluto, sendo responsável por 71% de todos os procedimentos de correção endovascular de aneurisma/dissecção da aorta abdominal do estado. O Hospital Roberto Santos vem em seguida, responsável por 28%.

O Ana Nery tornou-se referência em cirurgias vasculares e endovasculares de alta complexidade nos últimos anos. O HAN desenvolveu uma experiência de destaque no cenário nacional e internacional no tratamento dos Aneurismas e Dissecções da aorta.

Com o objetivo de aumentar a excelência dos serviços prestados aos pacientes, o Ana Nery (HAN) implementou nos primeiros dias de 2022 o Centro de Doenças da Aorta (CDA), experiência que em outros países mostrou melhores resultados, com melhor cuidado dos pacientes e menor morbimortalidade, além de mais vidas salvas.

O Centro de Doenças da Aorta é um projeto pioneiro no Brasil, que reafirma o compromisso do Hospital Ana Nery em prestar um serviço de excelência à população. Como referência em doenças vasculares de alta complexidade, a fundação do CDA é um marco que consolida esta posição do HAN.

Se você é profissional de saúde e atendeu paciente com Aneurisma ou Dissecção da Aorta, entre em contato!

Se você é um paciente com Aneurisma ou Dissecção da Aorta e está sem acompanhamento, entre em contato!

E-mail: aorta@han.net.br

Whatsapp: (71) 9 9985-0618

 

 

Novos médicos residentes do Programa de Cardiologia são apresentados no Ana Nery

Foi realizada na manhã desta terça-feira (1), no auditório do Ana Nery, a apresentação dos novos médicos residentes do setor de cardiologia do hospital.

Anualmente, 16 novos residentes se juntam à equipe do HAN, no cuidado aos pacientes que são tratados na unidade.

Durante o evento, a coordenadora do Programa de Residência Médica em Cardiologia, Dra. Clara Figueiredo, mostrou aos novos residentes como funciona a dinâmica do Ana Nery e apresentou as atividades que eles farão ao longo de dois anos.

Para Elizabeth Martinez, uma das novas médicas residentes, o Ana Nery é o local perfeito para formar futuros médicos.

“Eu escolhi o HAN, porque é o maior hospital de cardiologia do Nordeste, e o hospital referência para absolutamente tudo na Bahia. Inclusive recentemente fez um transplante cardíaco”, disse.

“Minhas expectativas para a residência são bastante positivas, porque eu tenho certeza que vou crescer muito, tanto pessoalmente quanto profissionalmente, sem contar que a equipe de preceptoria é perfeita”, concluiu a médica residente.

O evento de apresentação dos novos residentes contou ainda com a participação do diretor geral do Ana Nery, Dr. Luiz Carlos Passos, e dos médicos Dra. Thainá Viana, Dra. Thais Aguiar, Dr. Cristiano Guedes, Dr. Marcelo de Paula e Dr. Osvaldemar Regis.

Realizada segunda parte das apresentações dos Trabalhos de Conclusão dos residentes em cardiologia do Ana Nery

Foram realizadas na quinta-feira (24), no auditório do Ana Nery, a segunda parte das apresentações dos Trabalhos de Conclusão dos médicos do 2º ano do Programa de Residência em Cardiologia.

Ao todo, 16 médicos concluíram neste mês de fevereiro suas residências em cardiologia no HAN, considerada uma das melhores do estado.

As apresentações começaram na quinta-feira da última semana, 18 de fevereiro, e foram concluídas nesta semana.

Dr. Warner Caldas, um dos residentes, afirmou que a vivência numa unidade como o Ana Nery é fundamental para a formação do médico.

Para ele, a clínica médica e a cardiologia em geral requerem a Rede SUS para o crescimento do residente, já que é importante que o médico em formação esteja nos grandes centros, onde há volume de pacientes.

Ele destacou ainda a qualidade do Programa de Residência em Cardiologia do HAN.

“Sem sombra de dúvidas, é a melhor residência de cardiologia na Bahia. A gente tem um volume grande de pacientes de enfermaria – são 3 enfermarias gigantes -; são de cinco a seis cirurgias cardíacas por dia – hospital nenhum aqui na Bahia tem esse volume -; e a preceptoria é muito presente e muito qualificada”, falou.

Reunião semanal do Heart Team do Ana Nery debate casos complexos de pacientes

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 22 de fevereiro, mais uma reunião semanal do Heart Team (Time do Coração) do Hospital Ana Nery.

Formada por equipes de cirurgiões cardíacos, anestesistas, cardiologistas clínicos, hemodinamicistas, enfermagem especializada, engenharia clínica e direção médica, o Heart Team tem como foco discutir os casos mais complexos, nos quais a decisão de intervir de forma percutânea ou cirúrgica não está clara.

Nesta terça (2), foi discutido o caso de um adolescente de 14 anos, que está internado em hospital do sul da Bahia. O médico responsável da unidade do interior participou desta reunião do Heart Team de forma online.

Nas reuniões do Heart Team, cada apresentação é liderada pelo clínico líder da enfermaria, com a apresentação feita pelo residente. Todos podem opinar e, em caso de não haver consenso, o clínico líder pode conduzir de forma orientada pelos melhores interesses do paciente e sua família.

Para casos mais avançados, há a participação da equipe especializada de cuidados proporcionais e paliação.

Além disso, todas as reuniões são registradas e compõem um acervo para pesquisa e consulta de casos complexos conduzidos pelo hospital.

Confira as decisões dos casos apresentados na reunião anterior:

  • Mulher de 62 anos. Diagnóstico de hipertensão, Insuficiência cardíaca (IC) de etiologia valvar – fração de ejeção (FE) 62% (teicholz), estenose mitral grave, estenose aórtica moderada, insuficiência tricúspide (IT) grave, disfunção de ventrículo direito (VD), hipertensão pulmonar (HP) (PSAP 123mmHg). Teve episódio de edema agudo de pulmão em 02/02/2022 com dispneia classe funcional III/IV ao realizar Eco-TTe no contexto de fibrilação atrial ritmo atrial irregular e rápido (FA ARV). Em Eco-TT com estenose mitral grave, estenose aórtica (EAo) moderada e IT grave (com componente misto) – PSAP 123mmHg e disfunção sistólica de ventrículo direito (VD) significativa. Dr. Jackson Salgado afirma que o tratamento é reticente, de alto risco cirúrgico. Devido posicionamento clínico favorável à realização de tratamento cirúrgico, apesar de sua opinião exposta, concordou com a operação se for garantido todo o suporte de assistência ventricular à paciente.
    Decisão do Heart Team: Apesar de paciente com hipertensão pulmonar suprassistêmica, com disfunção de VD ecocardiográfica, evolui clinicamente sem sinais de IC direita, optado por seguir com troca valvar mitral (TVM) e TVAo. Idealmente procedimento a ser realizado com suporte de VD.
  • Mulher de 66 anos, passado de Bentall de Bono em 2016 (biológica) evolui com quadro de dispneia com piora progressiva associada a edema de membros inferiores (MMII). Proveniente de ambulatório de valvopatias evoluindo com manutenção de sintomas (classe funcional NYHA III) e desconforto precordial. Realizou novo Eco-TT revelando disfunção da bioprótese aórtica do tipo insuficiência aórtica (IAo) grave e valvopatia reumática mitral com estenose moderada e insuficiência mitral (IM) importante, IT importante – PSAP 62% com função biventricular preservada; sendo indicada dupla troca valvar aórtica e mitral por próteses mecânicas + plastia tricúspide; na ocasião realizada CATE devido aos sintomas de desconforto precordial que evidenciou lesão grave de direita anterior (DA) e coronária direita (CD). Em agosto/2021, discutido caso em sessão clínica e optado por seguir com tratamento percutâneo das lesões coronarianas e posteriormente seguir com a abordagem valvar. Apresenta ainda diagnostico de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) com padrão obstrutivo moderada a espirometria, clinicamente GOLD A pela avaliação da pneumologia. Internada para realizar abordagem valvar neste internamento, porém optado por rediscussão em Heart Team devido ao risco cirúrgico.
    Decisão do Heart Team: Diante do elevado risco cirúrgico pela complexidade da abordagem de cirurgia de Re-Bentall + TVM e plastia tricúspide em paciente com DPOC associado, optado por tratamento conservador com proporcionalidade de cuidados.
  • Homem de 37 anos, com caso já discutido em reunião anterior do Heart Team (HT) em 08/02/2022. Em 21/03/2019 realizou cirurgia de Bentall de Bono + implante de prótese mecânica em válvula aórtica, evoluiu com infecção de ferida operatória (FO), realizado exérese de granuloma de esternotomia em 30/05/19. Teve um acidente vascular cerebral isquêmico (AVCi) em 13/06/19 em período de transição da anticoagulação e taquicardia supraventricular (TSV) em 30/06, revertida para taquicardia ventricular não sustentada (TVNS) após adenosina e evoluiu com fibrilação atrial (FA) aguda, cardiovertida com amiodarona, vinha em acompanhamento no ambulatório de valvulopatia do HAN, quando recebeu alta do ambulatório em 09/09/2020 para acompanhamento cardiológico externo. Refere que vinha em acompanhamento externo, quando realizou ECO de rotina em 26/02/21 e foi visualizada imagem hipoecoica, periprotética, com área de aproximadamente 8,4 cm2, sem identificação de orifício comunicante, sugestivo de neocavidade, fração de ejeção do ventrículo esquerdo 51% (FEVE). Atualmente evolui clinicamente assintomático. Concluído que paciente é de altíssimo risco para abordagem cirúrgica de correção do pseudoaneurisma.
    Decisão do Heart Team: Discutido em conjunto com Cirurgia Vascular (Dr. André Brito e Dr. João Pedro) e optado por tentativa de material para fechamento percutâneo.
  • Mulher de 68 anos, paciente hipertensa, diabética insulino-requerente e dislipidêmica. Relatado de dor torácica progressiva aos esforços iniciada há 4 meses, com piora aos esforços e melhora em repouso. Apresentou IAMCSST inferior não reperfundido. Realizou CATE em 03/02/2022 com padrão trarterial e eco-TT com função sistólica biventricular preservada.
    Decisão do Heart Team: Intervenção cirúrgica passível de revascularização miocárdica (RM) completa em paciente sem critérios de alto risco cirúrgico, sendo optado por seguir com cirurgia de RM.
  • Homem de 50 anos, paciente previamente diabético, em tela de regulação da CER com pedido de angioplastia, quadro de IAMSST; realizado CATE no HAN, sendo evidenciada lesão triarterial, porém lesão de DA distal, CD com lesão segmentar e leito distal fino.
    Decisão do Heart Team: Optado por manter em tratamento conservador.
  • Mulher de 62 anos, com relatório de pedido para angioplastia, na qual há a descrição de dispneia aos esforços (contexto de angina estável). Realizou CATE nesta instituição em 18/09/2021 com padrão triarterial com lesão grave de DA proximal.
    Decisão do Heart Team: Por conta da lesão grave de DA proximal, optado por seguir com cirurgia de RM.
  • Mulher de 64 anos, hipertensa, IMC 21, diagnosticada em 2021 com estenose aórtica grave (sem acompanhamento). ECOTT (13/01/2022) hipertrofia do ventrículo esquerdo grave, disfunção diastólica do VE grau dupla lesão valvar aórtica, sendo estenose grave e insuficiência leve. IM e IT leves; Endoscopia (EDA) em 19/02//2022: megaesôfago. Terço distal do esófago, em transição esofagogástrica, exibe lesão ulcerada, de bordos elevados e bem determinados, medindo cerva de 8mm.
    Decisão do Heart Team: Após avaliação do caso apresentado e informações fornecidas através de relatório enviado pela regulação, decidido por convocar paciente para avaliação cirúrgica e seguir com tratamento cirúrgico.


Post navigation

Enviar mensagem
Precisa de ajuda? Entre em contato.
Agora você pode agendar e tirar suas dúvidas via WhatsApp.
Powered by