(071) 3117-1800
contato@han.net.br

Em meio a caos nacional de cirurgias cardíacas pelo SUS, Bahia segue sem fila para procedimentos; Hospital Ana Nery é destaque no país

No último mês de outubro, o jornal Folha de São Paulo publicou reportagem intitulada “Pandemia e alta do dólar empurram cerca de 50 mil para fila de cirurgia cardíaca no SUS”. A matéria retrata situação de caos nacional com relação a cirurgias cardíacas em todo o Brasil.

Essa realidade, entretanto, não afeta os baianos. O estado está há anos sem filas para cirurgias cardíacas e encontra no Hospital Ana Nery, referência na Bahia para doenças cardiovasculares e renais, uma unidade que se destaca no ranking nacional de produtividade (liderando ou ficando nas cinco primeiras posições em diversos procedimentos), segundo dados do próprio Ministério da Saúde.

Clique aqui e leia a matéria da Folha

SITUAÇÃO NA BAHIA
Dr. Luiz Carlos Passos, cardiologista, diretor geral do Hospital Ana Nery e professor da Universidade Federal da Bahia (UFBA) explica que, na Bahia, a situação de normalidade com relação às cirurgias cardíacas pelo SUS é fruto de uma gestão focada em resultadas e excelência no serviço, no Hospital Ana Nery.

“Isso [o caos nas cirurgias cardíacas] não ocorreu graças ao convênio UFBA-SESAB, e a gestão qualificada do Hospital Ana Nery. Planejamento eficiente e contratos de longo prazo geridos pelo Complexo Hospitalar de Saúde da UFBA, equipe médica comprometida e funcionários de todos os níveis engajados fizeram a diferença para que o Hospital Ana Nery fosse um dos cinco mais produtivos do Brasil em diversos procedimentos”, afirma Dr. Luiz Carlos Passos.

Ele destaca ainda que a situação era diferente em 2015, quando assumiu a direção geral do Ana Nery.

“Na Bahia não temos filas de cirurgia cardíaca há anos. Em 2015 eram 2000 pessoas aguardando cirurgia”, conclui.

INDICADORES DE PRODUTIVIDADE DO ANA NERY
No Brasil
Com relação às realizações de plásticas valvares e/ou trocas valvares múltiplas pelo SUS, entre janeiro a agosto de 2021, O Ana Nery lidera o ranking nacional, com 133 procedimentos, número que é mais que o dobro do contabilizado pelo segundo colocado na lista: 62. O Ana Nery também liderou o ranking nacional em 2020, com 110 procedimentos durante todo o ano (janeiro a dezembro).

O Ana Nery também realizou entre janeiro e agosto deste ano 1.350 angioplastias coronarianas pelo SUS. O número coloca a unidade em terceiro lugar de todo o Brasil.

Com relação a implantes de dispositivos eletrônicos cardíacos pelo SUS, a unidade atingiu a marca de 510 procedimentos, entre janeiro e agosto de 2021, e já ultrapassa a quantidade realizada em todo o ano de 2020, quando totalizou 500. O Ana Nery é o quarto hospital que mais realiza o procedimento no país.

No Nordeste
Na contabilidade de plásticas valvares e/ou trocas valvares múltiplas pelo SUS, no Nordeste, o Ana Nery segue soberano. A unidade foi líder em 2020, com 110 procedimentos durante todo o ano e, de janeiro a agosto de 2021, segue liderando a lista, com 113 procedimentos. O número é mais que o triplo da unidade de saúde (da Paraíba) que está em segundo lugar, que contabilizou 41 procedimentos no mesmo período.

Com relação às angioplastias coronarianas pelo SUS, o Ana Nery lidera o ranking entre as unidades de saúde do Nordeste. Só de janeiro a agosto deste ano, o HAN acumula 1.350 procedimentos. Em 2020, a unidade foi a quarta colocada, com 638 procedimentos – mais que dobrou a produção em cerca de metade do tempo, se comparado todo o ano de 2020 com os oito primeiros meses de 2020.

O Ana Nery também lidera o ranking no Nordeste na realização de revascularizações miocárdicas com uso de extracorpórea (com 2 ou mais enxertos) pelo SUS. Em 2020, a unidade, que também ficou em primeiro lugar na lista, totalizou 249 procedimentos realizados, enquanto de janeiro a agosto deste ano, esse número já é de 292.

Na Bahia
Na quantidade de plásticas valvares e/ou trocas valvares múltiplas pelo SUS, na Bahia, o Ana Nery lidera com folga. De janeiro a agosto deste ano, já foram contabilizados 133 procedimentos, número mais de quatro vezes maior que o atingido pela unidade de saúde em segundo lugar, que fez 30 procedimentos do tipo, no mesmo período. Em todo o ano de 2020, também liderado pelo HAN, foram 110 procedimentos.

Além disso, ainda de janeiro a agosto de 2021, Ana Nery realizou 2.095 procedimentos de diagnósticos endovasculares. O número equivale a 41% de todos os procedimentos realizados na Bahia. A unidade que está em segundo lugar do ranking realizou 698.

Hospital Ana Nery ganha novo ambulatório com consultórios em mais de 30 especialidades médicas

Foi inaugurado nesta quarta-feira (10), após extensas obras de readequação, o novo ambulatório do Hospital Ana Nery (HAN). Localizado em frente à sede da unidade de saúde, no bairro da Caixa D’Água.

Na mesma ocasião, foi inaugurada também uma unidade do Hemoba, que irá funcionar no prédio principal do Ana Nery. Essa unidade possui quatro cadeiras para doação de sangue e capacidade de coletar até 600 bolsas de sangue por semana.

No total das obras, foram investidos cerca de R$ 12 milhões pelo governo do estado.

A cerimônia contou com a presença do governador Rui Costa, que visitou a unidade do Hemoba e o novo refeitório que está sendo construído no HAN.

O novo ambulatório foi implantado no local onde funcionava o Colégio Estadual Professor Luís Cabral. Deste modo, a fim de proporcionar um maior conforto e segurança aos pacientes, o governo do estado investiu em obras de readequação e revitalização, para que o local tivesse uma infraestrutura e condições de funcionamento hospitalar.

No local, foram construídos 21 consultórios que prestarão atendimento em mais de 30 especialidades médicas, como cardiocirurgia, cardiopediatria, nefrologia, entre outros, além de consultas pré e pós-transplantes e outros procedimentos.

O novo ambulatório do Hospital Ana Nery também possui espaço infantil, sala de vacina, auditório, além de outras estruturas (Confira lista completa ao final do texto).

Os consultórios serão ocupados conforme escala de distribuição, para atender à programação semanal do ambulatório. Há ainda um consultório exclusivo para atender a cardiopediatria, a fim respeitar e preservar as individualidades das crianças e adolescentes dos demais pacientes.

A previsão é de que serão realizadas anualmente quase 40 mil consultas médicas e 10 mil  consultas por profissionais não médicos de nível superior, incluindo odontólogos, nutricionistas, enfermeiros e assistentes sociais, além de pequenas cirurgias e outros atendimentos.

Durante a cerimônia o governador destacou a importância do novo ambulatório do Ana Nery.

“Se diminui o volume de pessoas dentro da unidade hospitalar diretamente, e é bom pra quem vai fazer ambulatório estar num lugar mais aconchegante e que interfira menos no funcionamento do hospital. Esse é um dos principais hospitais do país em termos de referência cardiológica”, afirmou Rui Costa.

O diretor geral do Ana Nery, Dr. Luiz Carlos Passos, chamou a atenção para a importância de ter uma unidade do Hemoba na unidade.

É a coisa mais importante que está sendo feita aqui. Nós fazemos anualmente de 1,5 mil a 2 mil cirurgias cardíacas e, sem sangue, não existe cirurgia cardíaca. A cirurgia é cancelada. E a demanda pelo sangue do Hemoba é muito forte. Agora, podemos receber o sangue aqui no hospital, e os acompanhantes não precisarão se deslocar, marcar horário, etc”, falou o diretor.

Ele também destacou que, com a transferência do ambulatório do Ana Nery para o novo espaço, a área que foi desocupada no prédio principal será utilizada em benefício do cidadão baiano, com 30 novos leitos de UTI.

Com relação a isso, na cerimônia desta quarta, o governador assinou uma ordem de serviço de  mais de R$ 2 milhões, para a implantação da UTI pediátrica, adaptação para UTI cardiológica, além de instalação do modulo administrativo e plataforma elevatória.

O diretor geral do HAN agradeceu ao governador pelo apoio ao Ana Nery.

“Queria agradecer ao governador por todo apoio que ele me deu de maneira incondicional, ao longo do mandato dele. Em nenhum momento faltou nada para esse hospital crescer como cresceu. Se tudo deu certo, é ele quem deve ser agradecido”, afirmou.

Dr. Luiz Carlos Passo ainda estendeu os agradecimentos aos colaboradores do Ana Nery e à comunidade da região do hospital.

“Queria agradecer também aos nossos 1,7 mil colaboradores.  Multiplicamos por três a produção do Ana Nery. O mesmo hospital, o mesmo número de leitos, o mesmo número de UTI, produzindo três vezes mais. Sem eles seria impossível fazer o que fizemos. E sem a comunidade me ajudar para que essa unidade operacional visse pro Ana Nery, nós a teríamos perdido”, concluiu.

Novo ambulatório do Hospital Ana Nery em números: 

CARDIOLOGIA ADULTO

  • Arritmologia
  • Marcapasso
  • Insuficiência Cardíaca
  • Doença arterial coronariana
  • Válvula
  • Checklist pré operatório
  • Transplante Cardíaco

CARDIOLOGIA PEDIÁTRICA

  • Cardiopediatria

CIRURGIA VASCULAR

  • Aneurisma da aorta
  • Escleroterapia e doença venosa avançada
  • Doenças da Carótida

CIRURGIA GERAL

  • Bucomaxilo
  • Cabeça e pescoço
  • Ginecologia cirúrgica
  • Urologia
  • Proctologia

NEFROLOGIA

  • Doença óssea metabólica
  • Glomerulopatia
  • Nefrologia geral
  • Ambulatório pre Transplante renal adulto e pediátrico
  • Ambulatório acompanhamento pós transplante renal adulto e pediátrico 

PROCEDIMENTOS

  • Pulsoterapia
  • Pequena cirurgia
  • Escleroterapia

ÁREA CONSTRUÍDA

  • Ambulatório: 961,56m²
  • Auditório: 637,06m²
  • Almoxarifado: 830,15m²
  • Guarita: 32,20m²
  • Subestação: 33,91m²
  • Abrigo de residuos: 23,42m²

QUANTIDADE DE SALAS

Ambulatório

  • Área de espera para pacientes e acompanhantes
  • Espaço infantil
  • Área para registro de pacientes e marcação
  • Triagem
  • Coordenação Administrativa
  • Arquivo
  • Copa
  • Serviço social
  • Depósitos de material de limpeza
  • Depósito de equipamentos
  • Salas de utilidades
  • Sanitários para pacientes e público
  • Vestiários para funcionários
  • Posto de coleta laboratorial
  • Sala de vacina
  • 21 consultórios (dentre eles cardiologia adulta e pediátrica, odontologia, nefrologia vascular, Proctologia, urologia e genecologia)
  • 02 box para eletrocardiograma
  • Sala de Estabilização (posto de enfermagem e serviços)
  • Sala de curativo limpo
  • Sala de curativo contaminado

Almoxarifado

  • 14 salas de depósito
  • 02 salas administrativas
  • Copa
  • Vestiário para funcionários

Outras áreas

  • Auditório
  • Áreas de convivência

IMAGENS DA INAUGURAÇÃO DO NOVO AMBULATÓRIO


IMAGENS DO NOVO AMBULATÓRIO DO ANA NERY

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Heart team: reunião de equipe multidisciplinar do Ana Nery discute casos complexos de pacientes

Foi realizada na manhã desta terça-feira, 9 de novembro, mais uma reunião semanal do Heart Team (Time do Coração), do Hospital Ana Nery.

Formada por equipes de cirurgiões cardíacos, anestesistas, cardiologistas clínicos, enfermagem especializada, engenharia clínica e direção médica, o Heart Team tem como foco discutir os casos mais complexos, nos quais a decisão de intervir de forma percutânea ou cirúrgica não está clara.

Nesta terça, foram discutidos os casos de quatro mulheres de 29, 47, 71 e 80 anos de idade; além de três homens com 55, 64 e 73 anos.

Nas reuniões do Heart Team, cada apresentação é liderada pelo clínico líder da enfermaria, com a apresentação feita pelo residente. Todos podem opinar e, em caso de não haver consenso, o clínico líder pode conduzir de forma orientada pelos melhores interesses do paciente e sua família.

Para casos mais avançados, há a participação da equipe especializada de cuidados proporcionais e paliação.

Além disso, todas as reuniões são registradas e compõem um acervo para pesquisa e consulta de casos complexos conduzidos pelo hospital.

Confira as decisões dos casos apresentados na reunião anterior:

  • Mulher de 58 anos, hipertensa, diabética insulinodependente, com história de três IAM prévios, AVC prévio com hemiplegia à direita e disartria há 11 anos. Iniciou no dia 12/10/21 quadro de dor epigástrica com irradiação para hemitórax esquerdo, em pontada, em repouso, sem fator de melhora, associada à dispneia. No mesmo dia foi à UPA para realizar exames – ECG evidenciou IAM, com evidência de isquemia e troponina elevada. Veio regulada para realização de Cateterismo, o qual foi realizado dia 21/10/21, evidenciando lesões graves em TCE, CD, DA e Cx. Desse modo, a paciente foi internada, pois apresentava alto risco de novos eventos em anatomia complexa. Paciente com limitação funcional importante e considerada como de alto risco cirúrgico.
    Decisão da equipe: Proposta inicial era de procedimento percutâneo e, após a discussão em Heart Team, foi definido que realizará ATC da ACD.
  • Mulher de 81 anos, tem HAS e histórico de quatro IAM prévios (SIC), apresentou mal-estar em fila de vacinação, evoluindo com perda transitória de consciência. Foi atendida na UPA de Arembepe, submetida a exame de ECG, o qual foi visto SST de parede inferior. Regulada ao HAN para realização de CATE, com lesão de TEC grave. Nega dispneia e sintomas gripais.
    Decisão da equipe: Paciente com proposta inicial de tratamento clínico entretanto, após a discussão do caso clínico em Heart Team, foi optado por tratamento percutâneo de ATC da ACD.
  • Mulher de 88 anos, tem HAS, DM, amaurose à esquerda, passado de amputação de MIE. Internada na UPA de Brotas desde o dia 18/10 por epigastralgia e dor em dorso, troponina reagente, visto ECG sem supra e iniciadas medidas para IAMSSST. Paciente estava evoluindo estável em enfermaria, vinha aguardando regulação para CATE, quando apresentou queixa de dor precordial, intensidade 10/10, sem irradiação, associada a dispneia e sudorese. Ao exame, crepitação difusa e PA 240 x 110 mmHg, sendo iniciadas medidas para EAP. Novo ECG com infra ST lateral e inferior.
    Decisão da equipe: Paciente com proposta inicial de tratamento cirúrgico entretanto, após a discussão do caso clínico, foi optado por tratamento clínico, visto que a paciente apresenta alto risco cirúrgico.
  • Mulher de 80 anos, com DPOC, relata que, há 4 anos, iniciou quadro de dispneia aos moderados esforços, associada a dor precordial, tontura, náuseas e vômitos. Relata episódios de síncope com frequência de até 02 vezes por semana, sem abalos musculares associados, com relato de duração de 20 a 30 minutos até recuperação do nível de consciência. Durante esse período, apresentou evolução do quadro, agora com dispneia e dor precordial aos pequenos esforços, porém com diminuição dos episódios de síncope. Em consulta com cardiologista, foi medicada, apresentando melhora parcial dos sintomas, e foi diagnosticada com estenose aórtica importante e DAC.
    Decisão da equipe: Foi encaminhada para esta unidade com proposta inicial de tratamento cirúrgico de TVAO e RM. Após a discussão de caso clínico a respeito do alto risco cirúrgico da paciente (idade, baixa estatura, aorta muito calcificada) com ela e os seus familiares, ambos cientes destes fatores optaram por prosseguir com a cirurgia de TVAO, considerando que a paciente está muito sintomática e com qualidade de vida ruim.
  • Homem de 71 anos, tem HAS, DM e diagnóstico de IAMSSST. Segue internado na UPA dos Barris.
    Decisão da equipe: Seu médico assistente propôs inicialmente ATC porém, após discussão em Heart Team, a equipe multiprofissional optou por manter em tratamento clínico pelas lesões difusas e leitos distais ruins.
  • Mulher de 71 anos, com diagnóstico de estenose aórtica moderada, IAMSSST (DAC triarterial) e FER 28%, segue internada no Hospital Municipal de Salvador.
    Decisão da equipe: Paciente com proposta inicial de tratamento percutâneo, entretanto após discussão de caso clínico a equipe multiprofissional optou inicialmente por tratamento clínico e acompanhamento ambulatorial para melhor avaliação do caso.
  • Homem de 55 anos, internado no Hospital do Subúrbio com quadro de suspeita de SCA (DAC triarterial), EAP, DRC dialítico. Assintomático no momento.
    Decisão da equipe: Paciente com proposta inicial de tratamento clínico e após a discussão do caso clínico a equipe multiprofissional optou por manter o mesmo em tratamento conservador.

 

 

Ana Nery obtém autorizações de doações de córneas de duas famílias diferentes em intervalo de menos de 24h

Em menos de 24h, o Hospital Ana Nery obteve autorizações de duas famílias para que fossem doadas as córneas de entes queridos. Os casos ocorreram nos dias 2 e 3 de outubro.

Após conversa com a equipe de serviço social do Ana Nery, as famílias dos doadores, mesmo em um momento de dor e consternação, foram solidárias e concederam este ato de amor para com o próximo.

Como cada doador pode conceder duas córneas, ao todo, quatro córneas foram retiradas e beneficiarão quatro pessoas que, no momento, estão na fila do transplante.

Ana Nery é destaque em ranking nacional de recrutamento de pacientes para estudo que visa reduzir eventos cardiovasculares maiores em pacientes com diabetes

Referência também na produção científica, o Hospital Ana Nery ficou em 5º lugar, entre unidades de saúde de todo o Brasil, no ranking de recrutamento de pacientes para o estudo OPTIMAL DIABETES.

 O OPTIMAL DIABETES é um estudo randomizado de larga escala que avalia o controle intensivo da pressão arterial, para a redução de eventos cardiovasculares maiores em pacientes com diabetes mellitus.

Recentemente, o Ana Nery teve excelentes resultados em rankings de recrutamento de outros estudos:

– 1º lugar em todo o Brasil no EDOBRA, estudo que, além de avaliar a segurança do uso do edoxabana num cenário de cuidados clínicos rotineiros, trará respostas sobre esta opção de tratamento para pacientes com fibrilação atrial, em especial aos pacientes do SUS.

– 2º lugar nacional no VIP-ACS, estudo vinculado ao Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) e que avalia a eficácia da vacinação contra Influenza, dose dobrada, para redução de eventos cardiovasculares maiores, após uma síndrome coronariana aguda.

– 5º lugar do país no NEO-MINDSET, estudo randomizado no qual é comparada a monoterapia versus dupla terapia antiplaquetária, após angioplastia coronária com implante de stents, em pacientes com síndrome coronária aguda.

Ana Nery realiza dois transplantes renais pediátricos durante feriado prolongado; pacientes foram meninas de 10 e 16 anos

O Ana Nery realizou dois transplantes renais pediátricos durante o último feriado prolongado, entre 30 de outubro e 2 de novembro. O número é considerado expressivo, já que a média deste tipo de procedimento é de um por mês.

Outubro, entretanto, foi um mês com grande quantidade dessa modalidade de transplante no Ana Nery: quatro ao todo.

Os dois procedimentos ocorridos no último feriado prolongado tiveram como pacientes duas meninas de 10 e 16 anos.

A mais nova mora em Coribe, cidade do oeste da Bahia, e tem caso acompanhado em hospital de Brasília. A unidade, no entanto, não realiza transplantes renais pediátricos e, por isso, ela foi encaminhada para fazer o procedimento no Ana Nery. Já a paciente de 16 anos mora em Ilhéus, sul do estado, onde também não há a realização do transplante.

Além dos dois transplantes renais pediátricos, o HAN realizou no feriado prolongado outros três procedimentos do tipo em adultos. Os pacientes tinham 20, 28 e 43 anos.

O Ana Nery se destaca na realização de transplantes renais pediátricos. Desde que o serviço foi iniciado, em 2009, já foram feitos 125 procedimentos na unidade. Neste ano, o HAN totaliza 10 transplantes.

Estudo sobre técnica pioneira do Ana Nery para tratamento endovascular das doenças da aorta é publicado em uma das mais importantes revistas do mundo na área

Foi publicado no dia 27 de outubro, na Journal of Endovascular Therapy, uma das mais importantes revistas na área da cirurgia endovascular do mundo, um estudo científico sobre técnica pioneira desenvolvida pelo Hospital Ana Nery para tratamento endovascular dos aneurismas e dissecções do arco aórtico.

O tratamento endovascular é uma área da cirurgia vascular, na qual são utilizados catéteres, guias, balões, stents entre outros equipamentos, de forma minimamente invasiva.

O estudo do Ana Nery, liderado pelo cirurgião vascular e endovascular, Dr. André Brito, desenvolveu uma técnica pioneira, que permite a realização deste tipo de procedimento sem que os fios utilizados no tratamento enrolem entre eles, um problema enfrentado por cirurgiões de todo o mundo.

A técnica desenvolvida no Ana Nery usa um protótipo de cateter com dois lúmens paralelos, para posicionar fios-guia nos ramos supra-aórticos. Isso permite a introdução e o avanço do dispositivo com os vasos alvo já pré-canulados. A endoprótese é avançada até o arco aórtico sem torção ou enrolamento dos fios.

De acordo com Dr. André Brito, a área do arco da aorta, região que fica no tórax e emite ramos para vasos do cérebro e membros superiores é uma área de difícil tratamento endovascular. Com a nova técnica, esse tipo de tratamento é facilitado.

Dr. André Brito destaca que o problema de torção e enrolamento dos fios no tratamento endovascular das doenças da aorta era uma dificuldade enfrentada por cirurgiões de todo o mundo, e que agora foi solucionada por essa nova técnica do Ana Nery.

“Cirurgiões da Europa, Estados Unidos e Ásia não conseguiram solucionar e aqui, com recursos simples, nós conseguimos resolver esse problema e fazer cirurgias do arco da aorta por endovascular. Queria agradecer a confiança dos pacientes e a toda equipe do hospital”, conclui.

CLIQUE AQUI E LEIA O ARTIGO.

Artigo de doutoranda orientada por cardiologista e diretor do Ana Nery é aceito por importante revista científica internacional

Foi aceito para publicação na revista científica Frontiers in Medicine, importante periódico internacional na área da medicina, um artigo produzido pela doutoranda Marianne Silveira Camargo e colaboradores. Marianne tem como orientador de doutorado o cardiologista, diretor geral do Ana Nery e professor da UFBA, Dr. Luiz Carlos Passos.

O artigo, entitulado Improving Access to the Glycated Hemoglobin Test in Rural Communities With Point-of-Care Devices: An Application Study (Tradução: Aumentando o acesso ao Exame de Hemoglobina Glicada em comunidades rurais com dispositivos de ponto de atendimento: um estudo aplicado), faz parte de um projeto realizado em parceria com o grupo de pesquisas do Observatório de Saúde Urbana da UFBA, campus de Vitória da Conquista-BA, apoiado pela Fundação Medtronic (EUA) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (FAPESB).

Seus resultados devem contribuir para a disseminação dessa tecnologia que permite a dosagem da hemoglobina glicada tanto para o diagnóstico do diabetes, quanto para o monitoramento do controle glicêmico de pessoas diagnosticadas com a doença, de forma que o exame seja realizado sem a necessidade das pessoas se deslocarem por grandes distâncias até um laboratório, com disponibilidade do resultado em até cinco minutos.

Essa melhoria no acesso ao exame deve, por sua vez, garantir o diagnóstico precoce do diabetes e a redução do tempo em que os portadores da doença permanecem com a glicemia acima dos níveis desejados, principalmente daqueles que habitam localidades distantes dos centros urbanos.

Hospital Ana Nery adquire novos cicloergômetros e amplia recursos terapêuticos para pacientes da fisioterapia

O Hospital Ana Nery adquiriu novas unidades de cicloergômetros, aparelhos usados no serviço de fisioterapia da unidade. Com isso, o HAN amplia os recursos terapêuticos para os pacientes. [Assista vídeo ao final do texto]

Os equipamentos chegaram na terça-feira, 26 de outubro, e já foram distribuídos em todas as UTIs e enfermarias adulto e pediátrica do hospital.

O cicloergômetro, também conhecido como minibicicleta, permite o ganho de força muscular tanto dos membros superiores quanto dos inferiores, além de melhorar a função cardiorrespiratória do paciente, auxiliando assim na mobilização precoce e na aceleração da recuperação pós-cirúrgica.

“Ficamos muito felizes com a ampliação dos recursos terapêuticos oferecidos pelo Hospital Ana Nery. Temos sido incansáveis em oferecer a melhor assistência possível aos nossos pacientes”, afirma Roberval Prado, Coordenador de Fisioterapia do Ana Nery.

 

Ana Nery é líder nacional no recrutamento de pacientes para estudo EDOBRA

Referência nos estudos científicos, o Hospital Ana Nery (HAN) é o líder nacional no ranking de recrutamento de pacientes para o ESTUDO BRASILEIRO OBSERVACIONAL DE EDOXABANA EM PACIENTES COM FIBRILAÇÃO ATRIAL (EDOBRA).

Tendo o HAN como um dos principais apoiadores para sua realização, o EDOBRA, além de avaliar a segurança do uso do edoxabana num cenário de cuidados clínicos rotineiros, trará respostas sobre esta opção de tratamento para pacientes com fibrilação atrial, em especial aos pacientes do SUS.

O estudo está na fase de recrutamento e, até o momento, o Ana Nery conseguiu 122 pacientes para participar do projeto. O número é quase o dobro da quantidade de pacientes angariados pela unidade de saúde que está em segundo no lugar no ranking.


Post navigation

Enviar mensagem
Precisa de ajuda? Entre em contato.
Agora você pode agendar e tirar suas dúvidas via WhatsApp.
Powered by